• 02 de Julho de 2020
  • Comentário(s)

  • 25 de Junho de 2020
  • Comentário(s)

Posso investir o fundo de reserva do condomínio?

Se você mora ou administra algum condomínio, é muito provável que já tenha ouvido falar em fundo de reserva. Apesar de ser bastante popular neste meio, ainda existem muitas dúvidas acerca do tema, principalmente no que diz respeito à possibilidade de investimento desse montante.

Em resumo, fundo de reserva é o valor em dinheiro arrecadado para ser utilizado em possíveis situações emergenciais, como reformas, conserto de vazamento. Isso porque nem sempre o condomínio tem o valor necessário disponível em caixa e contar que os condôminos possam participar de um rateio é algo incerto.

Não existe uma lei que determine o valor da contribuição para o fundo de reserva, logo, este deve ser definido pela convenção condominial. Na maioria dos condomínios ela varia entre 5% e 10% da taxa de condomínio.

Assim, se o indivíduo para 400 reais de taxa de condomínio e o valor do fundo de reserva foi fixado em 10%, este deverá pagar 440 reais, cabendo ao síndico ou administradora preservar o valor correspondente ao FR.

Para saber mais sobre o assunto, bem como suas formas de cobrança, leia o artigo “Como Funciona o Fundo de Reserva do Condomínio”.

Além de constituir um “porto seguro” para o condomínio, existem outras possibilidades ainda pouco exploradas. Uma delas é referente a possibilidade de investir o fundo de reserva.

Isso porque os canos podem não entupir, as paredes podem não rachar, o elevador não quebrar e todas as manutenções e melhorias terem sido feitas recentemente. Por outro lado, sabe-se de deixar o dinheiro parado é perder gradativamente seu valor para a inflação.

Confira a seguir algumas formas populares de investir o fundo de reserva tanto interna quanto externamente e saiba como otimizar a gestão condominial.

Maneiras inteligentes de investir o fundo de reserva do condomínio

Em uma comparação simples, um condomínio é como uma empresa. Enquanto os funcionários (ou condôminos, neste caso) devem se esforçar para mantê-la lucrativa e funcional, os gestores (representados pelos síndicos) precisam otimizar a utilização de recursos, desenvolvendo um plano de contingência para períodos de crise e encontrando maneiras de maximizar a receita.

Com essa analogia, fica fácil entender como e porque é importante ter um fundo de reserva e utilizá-lo de maneira eficiente de curto a longo prazo. Confira a seguir alternativas populares de investimento interno e externo.

Investimento interno

Existem muitas áreas do próprio condomínio que servem como fonte de investimento. Uma das principais é através de reformas, seja melhorando o hall de entrada, otimizando o estacionamento, modernizando os elevadores ou renovando a fachada.

Além dos ganhos estruturais, estéticos e de segurança, a iniciativa valoriza o imóvel, tornando-o mais atrativo para possíveis investidores e novos moradores.

Outra maneira de investir o fundo de reserva do condomínio que vem ganhando cada vez mais adeptos é em forma de descontos para os moradores.

 

Contudo, é importante salientar que qualquer forma de investimento não deve colocar em risco a característica emergencial do fundo. Logo, todo e qualquer uso deste montante deve ser exposto e aprovado pelos moradores, sempre preservando uma parte do todo.

fundo-de-reserva-do-condominio

 


Investimento externo

Além do próprio condomínio, o fundo de reserva também pode ser investido externamente. No entanto, especialistas reforçam que para preservar sua integridade e função, é fundamental que o fundo de investimento seja de baixo risco e de curto prazo, como a poupança.

Neste caso, ações na bolsa de valores, fundos imobiliários e variação cambial não devem ser opções, já que possuem risco financeiro elevado. Assim como nos investimentos internos, qualquer que seja a destinação deve ser informada e aprovada em convenção condominial de forma clara e objetiva.

A importância do planejamento

Desde a arrecadação até sua destinação, o fundo de reserva exige planejamento e organização para que seja vantajoso para todos os seus interessados.

Com isso, torna-se possível manter a saúde financeira do condomínio em eventuais crises, como também proporcionar a melhoria contínua do mesmo, valorizando-o e contribuindo para o bem-estar e comodidade de quem o frequenta.

Quer saber mais sobre como o fundo de reserva pode ajudar condomínios de diferentes tipos e portes a melhorar sua organização interna e ainda economizar?

Então, assista owebinar da Casa Administradora sobre Economia e Investimentos em Condomínios. Nele você aprenderá mais sobre o fundo de reservas, seus usos, vantagens e muito mais. Vale a pena conferir!

Comentários