• 22 de Setembro de 2020
  • Comentário(s)

  • 14 de Setembro de 2020
  • Comentário(s)

  • 08 de Setembro de 2020
  • Comentário(s)

Como administrar um condomínio residencial

Administrar um condomínio residencial pode ser muito gratificante, mas não é uma tarefa fácil. Isso porque, ainda que o síndico seja muito experiente, um condomínio nunca é igual ao outro e cada um deles guarda seus próprios desafios. 

Também por isso, o síndico deve estar habituado a ser constantemente solicitado para resolver os mais diversos tipos de problemas e conflitos. É fundamental que esse profissional seja dotado de competências e habilidades específicas, como gestão financeira, solução de conflitos e gestão de pessoas. No entanto, existem algumas boas práticas que podem ajudar na difícil missão de administrar um condomínio residencial. Confira a seguir.

Reconheça suas responsabilidades

A primeira grande tarefa de um síndico na administração de um condomínio residencial é reconhecer todas as suas responsabilidades imediatamente após assumir o posto. 

Para tanto, vale a pena conversar com os moradores, analisar a rotina do edifício, compreender a dinâmica das áreas comuns, analisar as finanças e, então, propor as melhores soluções para tornar o condomínio mais eficiente. 

Planeje o orçamento do condomínio

É impossível administrar um condomínio residencial sem planejar seu orçamento. É por isso que essa etapa deve ser feita com o máximo de cautela. 

Antes de dar início aos reparos e melhorias, analise todos os demonstrativos financeiros com o objetivo de compreender todas as despesas e receitas do condomínio, que devem estar em equilíbrio. Eventualmente, você notará que algo pode fugir à normalidade, como um índice de inadimplentes muito alto, por exemplo. Nesse caso, é importante dar início a um processo de negociação, sobre o qual já falamos aqui

 

Ademais, o condomínio deve zelar pelo fundo de emergência, assegurando que, em caso de emergências e/ou despesas não previstas, essa quantia poderá cobri-las sem prejudicar o orçamento. 


condomínio residencial

 

Cuide das obrigações legais

O síndico é o responsável legal pelo condomínio e, portanto, deve responder por ele. Nesse sentido, outro fator que não deve ser esquecido ao se administrar um condomínio residencial é cuidar para que suas obrigações fiscais junto à Receita Federal sejam honradas no valor e prazo devidos. Caso contrário, o condomínio poderá contrair uma Dívida Ativa com a União, e posteriormente deverá quitá-la com juros e multas adicionados ao valor inicial. 

Organize manutenções periódicas

Por displicência ou desconhecimento, muitos condomínios residenciais acabam confundindo manutenção com reparo, o que é extremamente prejudicial tanto para o síndico quanto para os condôminos e o próprio edifício. 

Manutenção é o ato de manter, ou seja, garantir que algo que já funciona bem permaneça dessa forma. Consertar, por sua vez, significa recuperar, restaurar algo que não está em sua forma original e em pleno funcionamento. 

Erroneamente, muitos síndicos deixam de fazer manutenções periódicas em piscinas, sistema de segurança, elevadores, fachada, garagem e demais áreas comuns. Ao tomar essa atitude, na verdade, eles estão apenas adiando os gastos que se tornarão maiores em um futuro próximo. 

Para evitar esse quadro problemático, é essencial que o síndico organize um calendário de manutenções, o qual deve ser rigorosamente cumprido de acordo com sua urgência. Além disso, é importante que esse profissional realize vistorias periódicas para garantir que tudo está em ordem e, caso contrário, tomar medidas corretivas. 

Seja acessível

Apesar de a função de um síndico envolver muitas questões administrativas e burocráticas, não se pode esquecer do principal: as pessoas. 

Portanto, para garantir uma boa administração de condomínio residencial, é fundamental que o síndico morador ou profissional seja acessível, zelando pela boa comunicação, interação e convivência entre todos. Para isso, é importante que este seja comunicativo, empático, prestativo e assíduo em suas responsabilidades. 

Administrar um condomínio residencial é como administrar uma empresa. Assim, deve-se garantir que tudo corra bem para que sua atividade principal (neste caso, a moradia) não seja prejudicada. 

Logo, como um bom gestor, o síndico deve ser proativo e presente, além de investir constantemente em capacitação e aprimoramento. 

Outro ponto importante é reconhecer que nem sempre é possível fazer tudo sozinho e que, em vista disso, delegar é necessário. Quando este for o caso, cogitar a implementação de um software de gestão de condomínios ou até mesmo a contratação de uma administradora pode ser uma decisão acertada. 

E você, o que acha que é indispensável para uma boa administração de condomínio residencial? Deixe seu comentário abaixo e continue acompanhando o blog da Casa Administradora para mais artigos como este.

Comentários