• 11 de Fevereiro de 2020
  • Comentário(s)

  • 11 de Fevereiro de 2020
  • Comentário(s)

Portaria virtual: vale a pena?

A segurança é um dos principais fatores que levam pessoas a viver em condomínios fechados com portaria 24 horas. Por outro lado, sabe-se essa é, também, a principal despesa destes locais, podendo absorver mais de 60% da arrecadação total. A fim de mudar este cenário, cada vez mais edifícios têm adotado a portaria virtual, capaz de reduzir até 80% dos custos, sem abrir mão das comodidades. 

Sabe-se que em um condomínio, seja ele comercial ou residencial, de casas ou edifícios, o fluxo de pessoas é sempre intenso. Para manter a segurança e a comodidade, é essencial que a portaria funcione 24 horas por dia, 7 dias por semana. 

Na tentativa de driblar os altos custos, sem abrir mão de seus benefícios, muitos condomínios passaram a adotar a portaria virtual. Trata-se de uma maneira de controlar remotamente a entrada e saída de pessoas, utilizando a tecnologia como sua maior aliada. Saiba mais a seguir. 

O que é a portaria virtual? 

Utilizando-se de câmeras de alta resolução estrategicamente posicionadas, sistemas de áudio e microfone, sensores de presença conectados à internet, a portaria virtual se torna capaz de controlar de maneira remota todo o fluxo de pessoas na portaria de um condomínio

Em alguns casos, sistemas adicionais podem ser utilizados, como leitores biométricos, chaves com sensores e QR codes, permitindo que moradores e/ou pessoas autorizadas sejam capazes de liberar o seu próprio acesso.

Através da substituição dos porteiros presenciais e da modernização tecnológica, a portaria virtual, também conhecida como portaria remota, proporciona maior eficiência e segurança, ao passo que reduz os custos de um condomínio em até 50%, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Segurança Eletrônica.

Isso é possível graças às empresas especializadas que, através da conexão à internet e câmeras, conseguem monitorar por 24 horas um ou mais condomínios simultaneamente. Assim, compartilhando recursos e mão de obra qualificada, a portaria virtual tem se popularizado cada vez mais, viabilizando a segurança patrimonial.

Em 2019, cerca de 300 mil condomínios brasileiros já haviam aderido às portarias virtuais. Quando comparado ao total de condomínios no país, o número ainda é pequeno e representa apenas 1% do todo. Por outro lado, o crescimento é constante e a adesão pode mais que dobrar até o fim deste ano. 

Portaria virtual: vantagens e desvantagens

Abandonar as portarias tradicionais e aderir às virtuais é uma decisão importante que exige análise e planejamento. Segundo os especialistas, a portaria virtual pode não ser a opção ideal para todos os tipos de condomínios e empresas, logo, vale a pena analisar os prós e contras antes de se decidir.


portaria-virtual


Vantagens

Redução de custos

Ao aderir à portaria virtual, o condomínio reduz seu principal custo: a folha de pagamento, que inclui salário, férias, encargos trabalhistas e adicional noturno. Com a diminuição dos custos, as taxas condominiais tornam-se mais baixas, sendo os condôminos os principais beneficiados. 

Segurança mais efetiva

A segurança é uma das principais vantagens de uma portaria 24 horas e ela se torna ainda mais efetiva com a portaria virtual. Além de diminuir os riscos de que o porteiro seja rendido por assaltantes, as falhas humanas também são mitigadas. Isso, somado ao aparato tecnológico de alta qualidade, tornam a portaria virtual uma alternativa mais segura e eficiente em tempo integral

Economia com treinamento e contratações

Assim como funcionários de outros setores, os porteiros devem gozar de seus direitos trabalhistas em sua plenitude, não excedendo a jornada de trabalho e cumprindo férias anuais. Com isso, mais de um colaborador se faz necessário, mesmo em condomínios pequenos, elevando as despesas com contratação, treinamento e eventuais rescisões.

Ao optar pela portaria virtual, o condomínio se isenta de todas essas responsabilidades, que passam a ser da administradora. Além da economia de tempo e dinheiro, a iniciativa evita eventuais processos trabalhistas movidos por antigos funcionários

Desvantagens

Aversão a tecnologia

Para que uma mudança tão ampla como a adesão a portaria virtual seja benéfica, é preciso que esta seja desejada pela maioria dos condôminos, já que isso afeta significativamente o seu dia a dia. Pessoas idosas, por exemplo, podem apresentar maior resistência à tecnologia, o que pode dificultar a implementação do sistema. 

Dependência de energia e internet

Por ser altamente dependente da internet e energia elétrica, a falha em pelo menos um deles poderia casas grandes transtornos ao condomínio. Também por isso, durante a fase de implantação, é essencial mitigar os riscos. Uma das alternativas para isso é o uso dos sistemas NoBreak

Maior investimento inicial

Para viabilizar a portaria virtual, é indispensável que o condomínio invista em melhorias tecnológicas, como a instalação e o aumento no número de câmeras de alta resolução e sistemas anti-queda de energia elétrica. O valor pode variar de acordo com o tamanho e capacidade do condomínio, mas tende a se pagar com a economia obtida com o serviço. 

Apesar do crescimento acelerado, a portaria virtual ainda é relativamente nova no Brasil. Consequentemente, ainda existem muitos questionamentos sobre sua viabilidade a médio e longo prazo, bem como as limitações de seu uso. 

Dentre as dúvidas mais comuns estão: 

  • Como fica a entrega de mercadorias com a portaria virtual?

  • O que acontece se a luz faltar? ou

  • Como fazer com moradores idosos e enfermos que não podem descer para receber mercadorias? 


Se você também tem perguntas acerca do tema, clique aqui para assistir ao nosso webinar e descubra como a portaria virtual pode revolucionar a segurança e simplificar o orçamento de condomínios de pequeno a médio porte.

Comentários