• 11 de Dezembro de 2019
  • Comentário(s)

  • 05 de Dezembro de 2019
  • Comentário(s)

  • 28 de Novembro de 2019
  • Comentário(s)

Escada de emergência no condomínio: o que eu preciso saber?

Um condomínio deve levar a sério a preocupação contra incêndio. O recado vale tanto para os prédios antigos como para aqueles que foram lançados recentemente pelas construtoras.

Claro, os mais novos já fizeram diversos testes para verificar se os componentes estão funcionando corretamente e se tudo está de acordo com o que foi estabelecido pelo projeto.

No entanto, deve-se ter uma atenção especial com as escadas de incêndio. Elas são um ótimo caminho para que os moradores saírem em situações de riscos.

Por isso, resolvemos listar diversas informações importantes sobre esse item neste artigo.

Quer deixar o seu prédio mais seguro? Então, leia este artigo agora mesmo!

Por que uma escada de incêndio é importante?

A escada de emergência é fundamental para qualquer condomínio. Ela serve para que os moradores saem de um prédio em situações de pânico como em incêndios.

No total, temos seis modelos de escadas: comum ou não enclausurada, protegida, enclausurada, enclausurada à prova de fumaça, pressurizada e externa.

É importante ressaltar que a nomenclatura da escada pode mudar de Estado para estado. O formato de escada também pode variar conforme a altura e a finalidade do edifício. Na prática, isso significa que haverá diferentes escadas em comércios, residências, escolas e indústrias.

Em nosso país, os bombeiros militares de cada estado são responsáveis por definir o modelo e o número de escadas de um edifício. A preocupação contra incêndio não pode ser ignorada pelos edifícios. No Brasil, temos um caso que mostra o quanto isso é importante.

O acidente na boate Kiss, em Santa Maria, deixou 243 mortos e 680 feridos no dia 27 de janeiro de 2013. Para se ter uma ideia, foi a segunda maior tragédia em casos de incêndio no país. Tudo isso poderia ser evitado se a boate tivesse proteção adequada contra incêndio. Portanto, não deixe que o pior ocorra com você e com os seus vizinhos. Saiba mais informações sobre as escadas de incêndio.

Quais são as regras mais indicadas para as escadas de incêndio?

As escadas de emergência devem ter alguns itens: corrimão contínuo em ambos os lados; iluminação de emergência, instalação de extintores, guarda – corpos, pisos com acabamento antiderrapante e sinalização de saída.

As larguras das escadas são estabelecidas conforme a quantidade máxima de moradores, que devem usar o espaço para sair em situações de emergia.

Os profissionais têm o costume de colocar uma dimensão mínima de 1,20 metros para escadas de uso residencial, comercial e industrial.

As escadas não podem ter obstáculos no meio do caminho. O espaço deve ser livre para que as pessoas fujam do perigo da forma mais simples possível.

Portanto, evite deixar lixos, materiais de limpeza e outros equipamentos que podem impedir o trânsito de pessoas.



escada-de-emergencia

As escadas também devem ter uma iluminação autônoma, que não dependa da rede elétrica do prédio. Isso é muito importante porque mantém o local iluminado mesmo que o registro geral fique desligado em caso de incêndio.

Os corrimões também são essenciais nas escadas. Eles devem ser instalados nos dois lados para que idosos ou pessoas com dificuldades possam se locomover sem colocar em risco a sua saúde.

As escadas devem ter as portas corta – fogo, que são usadas para resistir ao incêndio.

Além disso, recomenda-se utilizar as antecâmaras. Na prática, eles são espaços pequenos que facilitam a liberação da fumaça. Eles também não podem ter obstáculos no meio do caminho.

As regras são estabelecidas pela ABNT NBR 9077 e você pode contar com a sua Administradora de Condomínio para conferir se o condomínio está em ordem.

Escada comum

A escada comum é outro formato bastante utilizado no Brasil. Ela é mais simples. É comum encontrá-la em prédios com no máximo cinco andares. Aqui, não é necessário colocar paredes que resistem ao fogo no entorno do edifício.

A escada comum está presente no sistema de saída de emergência. No entanto, ela tem autorização para fazer integração com outros ambientes, entre os quais: corredores e halls.

Quem deve cuidar da escada de incêndio?

A preocupação contra incêndio deve ser de todos os moradores, e não somente do síndico. Os prédios devem ter uma equipe de especialistas para que eles tomem as melhores decisões em situações de emergência.

O lado positivo é que a brigada de incêndio também pode ser formada pelos condôminos, depois de concluírem um curso conduzido pelo Corpo de Bombeiros ou por instituições credenciadas.

É fundamental deixar claro que o condomínio deve ter um assessor técnico para que ele verifique a segurança do edifício. O acompanhamento pode ser feito tanto por um engenheiro mecânico como por um técnico de segurança do trabalho.

Se o imóvel tiver alguma irregularidade, o Corpo de Bombeiros estipula um prazo de 48 horas para que o representante do condomínio se apresente às autoridades.

As escadas de incêndio são de responsabilidade do dono da edificação ou do seu representante legal, que pode ser o síndico. Sendo assim, tenha cuidado para que nenhum morador tome nenhuma atitude sem autorização, combinado?

E você, teve alguma dúvida em relação as escadas de incêndio? Então, compartilhe conosco nos comentários abaixo!



Comentários