• 22 de Setembro de 2020
  • Comentário(s)

  • 14 de Setembro de 2020
  • Comentário(s)

  • 08 de Setembro de 2020
  • Comentário(s)

Quando posso fazer um financiamento?

Ter a casa própria é o sonho de milhares de brasileiros. Um dos grandes empecilhos seria os altos valores praticados no mercado, o que acaba fazendo com que muitas vezes este sonho não vire realidade. Hoje em dia temos diversos bancos e financeiras trabalhando com programas voltados ao custeio de imóveis. 

Neste artigo abordamos sobre o financiamento imobiliário, que pode ser uma opção para quem deseja sair do aluguel e ter a sonhada casa própria. 

O que é um financiamento imobiliário?

Realizar um financiamento imobiliário,nada mais seria do que uma linha de crédito, na maioria das vezes de longo prazo ofertada por muitos bancos e instituições financeiras para aquisição de imóveis, sejam eles novos, seminovos ou em construção para fins de moradia ou comércio. É importante ressaltar que durante período de pagamento das parcelas do financiamento, o imóvel estará ligado a pessoa que realizou a compra, porém não existe possibilidade de ser negociado enquanto a dívida com o banco ou financeira estiver em aberto, para tal é necessário fazer a quitação da dívida. 

Condições de Financiamento 

Adquirir uma casa ou apartamento à vista ainda é uma realidade bem distante para milhares de brasileiros, mas isso não impede que se alcance o sonho de morar em um lugar só seu. Como já comentado, o financiamento imobiliário é um contrato firmado com um banco ou instituição financeira que possibilita a aquisição de um imóvel ainda que se tenha recursos suficientes para quitá-lo. 

Hoje diversos bancos oferecem pacotes de financiamento imobiliário, o que funciona como facilitação no processo de aquisição da casa própria. O que irá diferenciar um pacote do outro são as taxas de juros e formas de pagamento que variam muito de banco para banco. Recomenda-se fazer uma breve avaliação das condiçõe oferecidas por cada banco. Após ter feita a escolha, o segundo passo é ir até uma agência ou realizar uma simulação online. 

Documentos 

A documentação que se faz necessária para um primeiro momento, é composta por originais e cópias da Carteira de Identidade (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF), Comprovantes de renda, bem como de estado civil.  

A comprovação de renda dos trabalhadores autônomo se dá por meio da apresentação de contrato da prestação de serviços, declaração do IR ou declaração do sindicato do qual faz parte, além de recibo de recebimento por trabalhos prestados.  É importante ressaltar que a comprovação de renda do comprador informa a sua capacidade de honrar com o pagamentos das parcelas adquiridas, pois o valor destas não pode ser superior que 30% da renda familiar bruta. 




Avaliação do Imóvel 

Depois de feita a conferência da documentação, o banco ou financeira dá continuidade ao processo por meio da avaliação do imóvel ao qual se almeja adquirir. Está avaliação por sua vez, ocorre atraves de uma empresa, engenheiro ou arquiteto que deve confirmar o valor do bem que está sendo comprado. 

Tipos de financiamento 

Hoje em dia temos cerca de dois tipos de financiamento imobiliário, e ambos possuem simulação de crédito em qualquer banco.  Um conhecido como Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e outro como Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). Além dessas modalidades você ainda pode recorrer ao financiamento direto com a construtora. 

Financiamentos pelo FGTS

Você pode usar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para realizar o financiamento. Nessa opção, você tem como conseguir dar uma entrada no momento da aquisição do imóvel ou até mesmo quitar uma parte de seu valor. Todavia, deve-se seguir algumas regras para ter direito a esse programa, sendo elas:

  • Obrigatoriamente, o imóvel e solicitante devem estar localizados no mesmo município;

  • É preciso ter contribuído por, no mínimo, três anos e não pode ter propriedades em seu nome;

  • O FGTS só quitará o valor do imóvel em até 80% e valores que ultrapassam o limite de R$ 500.000 não é permitida a quitação;

  • O solicitante do empréstimo não pode ter outro empréstimo ativo no Sistema Financeiro de Habitação.

Financiamentos SBPE

Nesse tipo de financiamento imobiliário não existe limite de renda pré-estabelecido. Este tipo de financiamento também funciona como amortização, no qual o valor do financiamento não deve ser superior a 30% da renda bruta da família. Todavia, deve-se seguir algumas regras para ter direito a esse programa, sendo elas:

  • Possuir mais de 18 anos; 

  • Ser Brasileiro ou estrangeiro com visto de permanência; e

  • Comprovar Renda e não possuir nome negativado 

Construtoras 

Outra possibilidade utilizada na hora de conseguir a casa própria é o financiamento direto com as construtoras. Esse tipo de financiamento imobiliário oferece a você uma maior flexibilização na negociação do que quando comparado aos bancos. Não existe colocação de limites sobre os valores a serem financiados, renda ou taxas de juros, no entanto, é nessa modalidade de encontramos um risco maior para os compradores. 


Quais as diferenças entre os tipos de financiamento ?

Ao que refere-se ao SFH os bancos não podem cobrar uma taxa de juros maiores que 12% a.a, porém, existe limites no valor do financiamento. Tirando o SFH, podem existir financiamento de imóveis com valores mais altos, como o ocorre na negociação direto com as construtoras, que possuem maior flexibilidade.

O que ocorre quando o consumidor deixa de pagar as prestações antes do término da dívida?

Caso o comprador deixe de honrar com as prestações do imóvel, o banco pode iniciar uma ação judicial com a finalidade de levar o imóvel a leilão. O valor angariado com a venda do imóvel é utilizado para bancar a dívida do comprador com o banco e as despesas judiciais que o banco obteve. 

Documentos Necessários 

Após ter realizado a escolha do tipo de financiamento imobiliário, o banco e/ou financeira e acordado os termos de contrato chega a hora de separar os documentos necessários para dar entrada no tão almejado sonho da casa própria. 

Essa é considerada uma das etapas mais demoradas. Recomenda-se que comece a se providenciar a documentação no início da negociação. Segue abaixa a listagem dos documentos requeridos para o processo de aquisição do financiamento imobiliário: 

  • Carteira de Identidade (RG), cópia e original; 

  • Cadastro de Pessoa Física (CPF), cópia e original;

  • Comprovante de renda;

  • Certidão de nascimento para quem é solteiro. Os casados e divorciados devem apresentar as respectivas certidões de casamento e divórcio;

  • Certidão conjunta de débitos referentes aos tributos federais: essa certidão confirmará se há ou não pendências junto a Receita Federal para o CPF solicitante do financiamento;

Caso você seja autônomo, pode realizar a comprovação de renda por meio do contrato de prestação de serviços, recibo de recebimento por trabalhos prestados, declaração do IR ou do sindicato da sua categoria.

Comentários