• 18 de Junho de 2019
  • Comentário(s)

  • 13 de Junho de 2019
  • Comentário(s)

  • 10 de Junho de 2019
  • Comentário(s)


Você já parou para pensar no porquê é importante contratar um seguro de condomínio? Afinal, ele é um espaço que conta com bens de várias pessoas e acidentes podem acontecer. Então, é preciso correr menores riscos possíveis.

 

Para que você entenda melhor esta burocracia a qual os condomínios devem passar, neste post vamos sanar algumas dúvidas que podem aparecer sobre o seguro. Confira!

Por que o condomínio deve ter um seguro?

Além de ser muito importante, é preciso ressaltar que o seguro de condomínio é obrigatório por lei. É o que consta no artigo 1.346 do Código Civil brasileiro, que diz que “é obrigatório o seguro de toda a edificação contra o risco de incêndio ou destruição, total ou parcial.” Por isso, esse já é um motivo suficiente para ter um.

 

No entanto, para deixar mais claro: o seguro de condomínio vai garantir a cobertura de danos causados ao espaço, seja incêndios, destruição e, em alguns casos, até contra roubos. Uma cobertura adequada para o espaço pode evitar problemas judiciais e prejuízos significativos para a gestão do local.

 

Dessa forma, é uma garantia que o condomínio deve ter e que pode estar incluída na taxa de condomínio. Assim, é importante que todos os condôminos tenham ciência de que o condomínio paga o seguro e para que ele serve.

Qual tipo de cobertura de seguro o condomínio deve ter?

Há vários tipos de cobertura oferecida pelas corretoras de seguro para os condomínios. Abaixo, listamos as principais:

  • cobertura contra incêndio: cobre danos causados por incêndio tanto de causas naturais quanto humanas, restituindo áreas comuns, unidades autônomas e equipamentos do condomínio;
  • cobertura contra danos elétricos: cobre danos em equipamentos do condomínio atingidos por descargas elétricas;
  • cobertura contra vendaval: cobre danos causados por ventos com velocidade superior a 54 km/h;
  • cobertura contra roubo: restitui o condomínio em casos de roubos nas áreas comuns, assaltos, invasões, desde que os itens roubados tenham comprovação de origem;
  • cobertura de responsabilidade civil: este tipo de seguro pode ter vários direcionamentos, mas está relacionado, principalmente, a cobertura de danos materiais causados no condomínio por/a terceiros;
  • cobertura ampla: inclui um pacote com as principais coberturas, resguardando o condomínio contra incidentes no geral.

 

Portanto, um seguro de condomínio pode ajudar a não criar prejuízos para o síndico e para os condôminos. Ele evita dores de cabeça e é uma garantia de que a edificação estará protegida. Por isso, busque boas corretoras, que tenham credibilidade no mercado. A falta do seguro no condomínio pode gerar multas e problemas com a justiça.

 

Gostou do conteúdo? Então, assine nossa newsletter e receba outros como este em primeira mão!

 

Comentários